sexta-feira, 19 de junho de 2009

A ALQUIMIA

A alquimia do tempo
Leva-me para sonhos ardentes
Agora sei como surge o momento
Registro os desejos em estrelas cadentes

Hoje vejo tudo aquilo que desejo
Os pecados são feitos de carne viva
A cidade dorme diante de tudo
Planto sementes na madrugada para nascer o dia

Precisamos da dor para saber o que restou
Precisamos do que restou para saber nos recompor
Diante do azul os olhos vêem além do céu
Diante dos olhos o mar espera o sol se pôr

Rompe o amanha em nossos caminhos
Perto longe estás, longe perto permanecerá
E a vida segue em desalinhos
Colho no jardim flor de poema

A alquimia do tempo
Mistura conhecimento e paixão
Colhendo maçãs no vento
Com desejo, sede e tesão

A alquimia do tempo
Nos caminhos plantas e sementes
No coração o momento
No amor sonhos e desejos ardentes


MAURO ROCHA 19/06/2009

9 comentários:

Efigênia Coutinho disse...

A ALQUIMIA
MAURO ROCHA

Boa poesia, adorei conhecer este espaço literário,serei uma seguidora, com admiração,
Efigênia Coutinho

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Amores, escrito de uma forma maestral.Este final de tarde esta poesia me pegou de jeito....
Bom final de semana querido poeta.

Cristiana Fonseca disse...

Olá poeta,
sublime alquimia poética.
Belo fim de semana pra ti tb
Abraços,
Cris

paula barros disse...

Mauro ler você é mesmo sem querer me transportar para Brasília, e esse seu poema ajudou.

com esse trecho - "Precisamos da dor para saber o que restou
Precisamos do que restou para saber nos recompor".

Depois me lembrei do céu azul.

Poema intenso - "no amor sonhos e desejos ardentes"

bom final de semana"

Bandys disse...

...e essa química para descobrir formulas só os poeta tem.
Bom fds
beijo

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Oi Poeta, passando para desejar uma feliz semana.
Aproveito para convidar você a aparecer por lá.
beijossssssssssss

Clarice disse...

Poeta, adorei! Colho também a flor do poema, linda imagem.

Dry Neres disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

"Precisamos da dor para saber o que restou
Precisamos do que restou para saber nos recompor
Diante do azul os olhos vêem além do céu
Diante dos olhos o mar espera o sol se pôr"

Este me tocou...

Alzira