quarta-feira, 7 de abril de 2010

TERRA

Estou por aqui algum tempo
Não sei dizer o quanto
Já fui menino
Já fui mulher
Já fui o que ninguém quer...

Hoje sou uma pessoa comum
Mas me lembro dos cem soldados de Napoleão
Ou eu era apenas um motorista de caminhão
Indo a lugar algum...

Mas essa é minha terra
Meu lar, meu habitar
E da minha janela
Assisto o balé do mar...

Estou por aqui algum tempo
Na frente da televisão
Ou é do computador?
Ao fundo uma música de Vivaldi
Foi quando meu espírito se assustou...

Já é hora de voltar...

MAURO ROCHA 02/04/2010

10 comentários:

Elaine Barnes disse...

BELÍSSIMO DEVANEIO.QTS PESSOAS JÁ FOMOS E QUANTAS SOMOS? NO PENSAMENTO PODEMOS IR AONDE QUISER E SER O QUE QUISER. SONHO,REALIDADE,NÃO IMPORTA O QUE VALE É SEMPRE VOLTAR PRA NOSSA TERRA. MONTÃO DE BJS E ABRAÇOS. LINDO DE VIVER!

Abraão Vitoriano disse...

ser é fértil...

abraços,
do homem-menino
que sabe do seu
ser grande
e que exclama...

fica com Deus!

HSLO disse...

Belo!

Lyra disse...

Olhem este sitio absolutamente delicioso para se desenhar, "desabafar" e descontrair :o)

Percebi que não é preciso sabermos desenhar bem para ilustrarmos ou "escrevermos" o que nos vai na alma através do desenho...E às vezes é bem mais fácil desenharmos o que nos vai na alma em..."silêncio"

E podem sempre adicionar o desenho ao vosso blog ou enviá-lo por e-mail a alguém.

www.sketchtag.com - visitem - vale mesmo a pena! Divirtam-se!

[ rod ] ® disse...

Eu ainda desafio-me a perder-me em mim mesmo! e reconheço o que me assusta é ganhar o rótulo de ser comum... abs meu caro.

Tatiana disse...

Mauro Rocha...
Seus poemas e poesias ganham vida.
Parecem revelar muito do que sentimos e não dizemos.

Um beijo carinhoso

paula barros disse...

Que possa sempre o espírito está onde deve estar, ligando corpo, mente, alma.

Me lembrou um música.

beijo

Cristiana Fonseca disse...

Bravooo, encantador poema como sempre.
Poeta Mauro Rocha, irás dar uma pausa , mas teus poemas estarão sempre aqui pra podermos nos dar inspirações.
Sempre estarei aqui.
Boa Sorte.
Abraços,
Cris

Danty disse...

Blea viagem, nas palavras...

Le Vautour disse...

Ah, delícia... às vezes você me faz lembrar um misto de Guimarães Rosa com Fernando Pessoa que vou falar: dá gosto!
Abraço de duas asas!