quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

MISTURA BÁSICA

A gramática lança o verbo
Para o povo aprender
O sujeito que não é besta logo chama você!
E pinta de adjetivo tudo que vê

O poema lança a rima
Para o povo brincar
O sujeito que não é besta logo começa a cantar
E rima alegria com trilili, tralalá...

O povo lança a língua
Para a gramática se adaptar
O sujeito que não é besta fala tudo o que há
Rima, frase, diálogo, dialeto, e muito blá,blá,blá

A gramática lança o verbo
O poema lança a rima
O povo lança a língua
O sujeito que não é besta inventa o cotidiano...


MAURO ROCHA 20/10/2010





10 comentários:

Bandys disse...

E voce meu caro Mauro é um veterano, coms suas poesias que nunca é um engano. É diversão todo ano,seja terra ou oceano.kkkkk

Hoje não to inspirada. To meio sonada, mas aqui a parada é obrigada. Com sol ou chuvarada.

Beijos meus

Ana Cristina Quevedo disse...

Sem blá blá blá, trilili e tralálá
Percebo que notas no cotidiano
As belezas do que realmente há

O que é importante
Verdadeiro, relevante
Cantaremos a toda hora
O que é falso, enganoso
Deixemos pro besta jogar fora

A mostrar que a palavra é dona
De quem entende que basta pensar
Escrever com o coração
Toda sorte que na vida há

São versinhos de pé quebrado
de quem muito cansada está
De cuidar da cria nova
E de tanto trabalhar

=)

Beijo

paula barros disse...

E você, sujeito poeta, nos encanta com a forma de escrever.

Temas variados com qualidade, sempre.

abraço

Zek disse...

Vida longa a nossa lingua.
Saudemos nossa rima.
Celebremos a palavra.
Reverencia ao nosso verbo.
Não esqueça o acento austero.
E eu que não besta.
Canto tanto quanto quero.

muito , muito boa poeta.

*Bela Poeta disse...

Olá Mauro! Vi que vc segue "a bela e a poeta". Eu sou a dona deste blog, mas o abandonei a algum tempo. Agora estou com este novo endereço, caso queira fazer uma visita.
Muito critivo este texto. Nossa língua é tão rica e complicada ao mesmo tempo, mas vc deixou em versos tudo muito divertido e interessante de se ler.
Abraço,
Vanessa.

Clecilene Carvalho disse...

Deus abençõe sua criatividade!!!!!

Muito bom.

[ rod ] ® disse...

É na fala cotidiana que as expressões tomam sua graça e se apropriam de tudo que pensa. Canta, sim, no intuito de encantar aos que em face do todo conjugam-se vivos. Abs meu caro amigo!

Majoli disse...

Que jeitinho mais gostoso de rimar...amei.

Beijos com carinho.

Clarice disse...

Nossa, Poeta, adorei! Não me canso dizer que é sempre bom viajar nas suas poesias, sempre! Adoro vir aqui.

Ravnos disse...

Gostei muito, até salvei aqui rs

Abraço Mauro, e bom fim de semana!