terça-feira, 17 de março de 2009

DE VOLTA PARA CASA

Olho para a terça
Da janela do carro
Meus olhos em tempestade
Transeuntes alados
Em avenidas vazias
Meus lábios murmuram
Qual o melhor momento
Para dizer “Te amo”?
Para abraçar o irmão?
Para andar na chuva?
Para ficar em solidão?...

A tempestade dos meus dias
São feitas de raios
Densa como um poema rasgado
A palavra fere
Mas também acalenta
Num rio que desce doce
Para encontrar o mar salgado
Numa transformação híbrida
A tempestade muda
Meus lábios murmuram...

Olho para você...
Pelo retrovisor o mundo esta mudado
Pelo retrovisor tudo muda
O mundo num minuto
A palavra
O movimento
Num minuto
Olho
Meus lábios murmuram...
Qual o melhor momento...
O beijo...
O beijo...
E o corpo em tempestade
Pelas avenidas vazias...
...Te Amo...


MAURO ROCHA 17/03/2009

4 comentários:

o casalqseama* disse...

o mundo muda a todo minuto mesmo... uma pena que alguns pessoas não acompanhem a evolução!


bjão da fê =D

Noslen ed azuos disse...

O que esperar da poesia senão emoção ou sorriso, quem sabe até uma lágrima; esqueça tudo: tempestade.

parabéns
ns

erupção_do_ser disse...

Lindo expressarmo-nos assim de uma forma tão simples sentindo imenso

Luciana disse...

Excelente postagem muito bem escrita meus parabéns.
Obrigada pela visita e o filme À Procura da Felicidade é excelente como se diz é uma lição de vida, pois foi uma história real e o que mais me impressionou nele foi que o personagem do Will Smith sempre dizia que estava bem mesmo estando no fundo do poço.


Abraços.