sexta-feira, 24 de setembro de 2010

SETE E MEIO

Não tenho sete vidas
Nem sou o negro gato
Mas sei que a vida
É um grande barato

Não esse barato de apertar
Nem o marido da barata
Apenas a vida
Feita para navegar

Feita para ver o sorriso
Feita para o bom dia e a boa noite
Feita para celebrar com os amigos
Feita para admirar o pôr-do-sol no fim de tarde

Não tenho ouro nem prata
Nem sou o pirata do caribe
Mas gosto de curtir uma praia
E observar a onda quebrar no recife

E em Recife curti um frevo
Em Natal fui a um festejo
Em São Paulo bebi vinho junto à garoa
Em Brasília o mar de estrelas promete coisa boa

Não tenho choro nem vela
Escrevo até sobre panela
Não está estampado “maluco” em meu rosto
E no cotidiano retiro o poema e visto

Visto eu tenho e muita coisa
Nos retratos da cidade
O outono pinta a primavera
E meus olhos riscam o horizonte

Não tenho sete vidas
Nem o inverno no verão
Mas tenho a esperança e a alegria
Estampada no coração...

MAURO ROCHA 23/09/2010

9 comentários:

Marilu disse...

Querido amigo, linda poesia, o importante é ter sempre esperança no coração. Tenha um lindo final de semana. Beijocas

Pat. disse...

Então tens tudo querido poeta!

Saudade de ti!
beijãozão

Majoli disse...

Não quero ser repetitiva, mas te acho o máximo, um poeta e tanto.
Te ler é bom por demais.
Essa poesia então que fala um cadinho de cada coisa que pertence ao nosso dia a dia...ficou linda.
Fiquei sorrindo com a leveza que os versos vão fluindo.
Parabéns meu amigo Mauro.
Um abraço e um bom final de semana pra ti.

Fernand's disse...

lindo.
cheio de vida!


bjs meus

EU SOU NEGUINHA disse...

AHHHH,GOSTO TANTO DE TE LER.
BEIJOS EM TI,DOCE FDS

Bandys disse...

Mauro,

Feita pra ler poetas como voce. Que tras essa esperança e alegria pro nosso coração.
Basta chegar aqui.

Adorei!

Beijos meus

Pelos caminhos da vida. disse...

Isso é ser feliz.

Obrigado pela sua companhia Mauro.

Bom fim de semana.

beijooo.

Louise Oliveira disse...

Tks, pelo seu carinho de sempre no Milk!
Gosto muito do jeito que brincar com as palavras e as tornar divertidas ao se ler.
Bjs! Lu

Memória de Elefante disse...

Que rima que não se rima?
Que esperança que não tem criança?

Maravilha!!!

Um beijo carinhoso!