quarta-feira, 5 de março de 2008

O GATO MIA

De tudo quase nada
O sorriso é da madrugada
Que inspira poesia
Silenciosamente e deitada
Conta estrelas
Olho para o canto do espelho
Vejo a lua inteira
Para quebrar o gelo
O gato mia
A rua vazia traz o dia
Preguiçoso, arrastado,
Solicitado para se encontrar ao meio-dia...

De nada quase tudo
Meu sorriso ficou mudo
Diante de tanta beleza...

MAURO ROCHA 05/03/2008




Um comentário:

natureza disse...

Lindo blog, gostei das poesias, voltarei para novas leituras, abraços.