segunda-feira, 11 de agosto de 2008

ALÉM DO JARDIM

Tarde, entardece mais tarde
Amanhece a margem
Da imagem no horizonte
E a vida corre nas ondas
Elétricas do corpo
No rosto uma sensação
Sorrisos, lágrimas, tesão
E o tempo ensina
Que andar sozinho
Também tem suas compensações...

Hoje é segunda de um dia qualquer
Os pássaros migram
As flores cilindras
E você não tem tempo
Para ver a cidade
A idade
No cartaz do espelho
Anoitece, noite mais tarde
Amanhece a margem
Das palavras que digo
Vivo
De mãos dadas com você...


MAURO ROCHA 11/08/2008



13 comentários:

Zek disse...

Realmente não tempo de ver a cidade.. a idade ?? melhor não pensar nisso !!! senao eu morro ou piro !!!

Abs

Fragmentos de Elliana Alves disse...

Aplausos,esta lindo,bjssssssss e boa semana...

paula barros disse...

Tiro muitas compensações do andar sozinho, do estar sozinho.
Por pensar nisso esse final de semana, e por estar sozinha, verificando as minhas compensações, escrevi algo sobre quantas pessoas cabem na minha solidão.
Me lembrei disso.
bom dia!

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Lindo, eu me sinto assim flutuando depois de ler o seu poema.
Rapaz, tive que fazer outro post, pois aquele me trouxe um azar que vc nem imagina. Este é sobre um cult movie, dirigido pelo Nicolas Cage, com James Franco no papel principal. Passou despercebido no Brasil, talvez tenha feito sucesso na Europa, não sei. Apareça por aqui:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
Um abraço,
Renata Cordeiro

Clarice Lis disse...

Poeta, adoro essa imagem... mãos dadas ... diz tanto. Espero que ainda dê tempo de desejar um Feliz Dia dos Pais, fiquei uns dias ausentes (de mim!).

Crisfonseca disse...

Linda poesia, meiga , doce, suave aos olhos e simplesmente bela, encantei me ao ler.
Abraços,
Cris

ALZIRA disse...

Belo poema

Canto da Boca disse...

Eu sempre digo que nunca estou sozinha, quando estou comigo.
Mas eu concordo, nem sempre estamos atentos para olhar ao nosso derredor, o que é um pecado cometido contra nós mesmos, pois todo dia é dia de olhar a vida com novos e amorosos olhos.
Um abração, Poeta.
;)

Dry Neres disse...

Eu estava com saudade de passar por aqui, poeta.. tenho corrido muito com minha monografia..ainda bem que você apareceu..rs
Justamente meu tema é Cecília e Florbela.. suas similaridades.. queria saber se você teria algo interessante pra conversar sobre isso, poeta..
Bom, agora falando do teu texto e dos outros que eu não havia lido ainda... sublimes, é a palavra. Eu gosto de textos que retratam a natureza viva.. eu tô encantada com o seu jardim..
Bjo pra você e pra sua família..
Aguardo contato em relação à monografia.

Dry Neres

Lampejos disse...

Poeta Mauro,

Com o tempo apreendemos a sorrir, a chora, cair e levantar. Todo esse aprendizado não vale a pena se não olharmos para a paisagem da vida e contemplamos o que ela tem de mais precioso: a Simplicidade da dádiva de viver.

[obrigada ]

(a)braços,flores,girassóis :)

o casalqseama* disse...

obrigada pela beleza das tuas palavras........encantadoras!

nos aconchegamos em teus textos...
gostamos muitíssimo do teu blog!

tomamos a liberdade de oferecer a vc o nosso selo "meu blog é quente" (post 10/08). venha buscá-lo!

já estás linkado em nossos banquetes!

bjs carinhosos,
casalqseama*

Carla disse...

nada melhor do que viermos de mãos dadas com alguém de quem gostamos!
beijos

Renan Reis disse...

Vemos a vida passar e nem sabemos, corremos o risco de viver sem ter vivido e mesmo assim aprendemos todos os dias que amar compreende riscos, defeitos, sabedoria e atitudes, para andarmos de mãos dadas ou simplesmente passarmos sobre o tempo.

Abraços Padrinho.