segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

CONTOS E JORNAIS

Depois de tanto falar
E de tão pouco escutar
Sinto a brisa do mar
Vejo as ondas se quebrar

Quem nunca falou tanto com o amor
Quem nunca escutou pouco sobre o amar
As nuvens que nos leva ao céu
São as mesmas que acompanha as lágrimas do fel

Quem nunca se sentiu como a “Alice no País da Maravilhas?”
Quem nunca esperou o beijo da “Bela Adormecida?”
Você pode dizer “Isso parece uma sala vazia”
E eu vou dizer “São apenas palavras sem vida...”

Depois de tanto falar
Resolvi me erguer
Olhando as ondas do mar
No horizonte resolvi me perder

E tudo que se via era o pôr do sol
E ele escrevia em seu lençol
Fantasias além do mar
Na brisa dos olhos fechados ao amar...

E tudo que se via se falou
E ele escrevia o pouco que escutou
Com as nuvens paradas no céu
A saudade escorria como mel

E assim foi-se o dia
Que ele descobriu o amor
Na brisa suave que vinha
Nas ondas que se quebram com a dor

E assim foi-se a noite
Que ele descobriu o mar
Nas ondas perdidas do horizonte
Com os olhos fechados ao amar...

MAURO ROCHA 08/02/2010







11 comentários:

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Seus poemas se fazem música aos meu ouvidos.Divinos!
Uma boa e feliz semana poeta.

Bandys disse...

Mauro,

O amor às vezes é cego mesmo.
Beijos

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Ai, Mauro que lindoooooooooooooooooo!!!
Fiquei apaixonada por esse poema!
O mar traz efeito inebriador sobre as pessoas!

Beijo

=)

Clecilene Carvalho disse...

Amar tendo como plano de fundo o mar
Vendo as ondas a quebrar
Sentindo o coração acelerar
E mesmo de olhos fechados poder enxergar.

Tenha uma excelente semana.

Majoli disse...

Tudo o que escreves eu gosto, sem exagero de minha parte...mas essa poesia de hoje, li, reli...me envolvi...sem mais...

Beijos meu querido amigo poeta.

Elaine Barnes disse...

Seu poema é de uma beleza incrível. Nossa,arrasou!Olhos fechados de amar! Lindo de viver. montão de bjs e abraços

Abraão Vitoriano disse...

"Quem nunca falou tanto com o amor
Quem nunca escutou pouco sobre o amar"

invenção é com você!

sendo próprio do sentimento o silêncio e o badalo, o glyter e o lenço, o livro e a tv, a panela e o bombom... amar é tudo de bom!

abraços,

Zek disse...

Que belo poema, suave como uma brisa a beira mar numa noite ja escura e apaixonante de verão.

Fionna ^^. disse...

Certo dia eu fui esse poema..
Você já deve estar cansado de me ver dizer que eles me leem. Leem muita gente por aeh na verdade. Mas que chatice! Venho aqui pra dar um passei e encontro um poeminha inocente que começa a falar de mim. Tá, não de todo. Não deixemos esse poema ainda mais presunçoso.
Certo dia, esse poema me caberia muito bem..
Adoro estar aqui, muitos abraços e tudo que há de bom entre o A e o Z.

sandra bastos disse...

gostei rsrsrsrsrsrs

sandra bastos disse...

nossa eu tbm fiquei apaixonada por esse poema sabia eu ja era apaixonada agora eu fiquei apaixonada + ainda rsrsrsrsrsrs



o amor e lindo ne