quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

FOGO E ÁGUA

Queria o silêncio que nada dizia
Olhava um olhar no vazio do dia
E todos procuram o mesmo caminho
E todos procuram carinho...

E assim navegava na água do rio
E assim queimava seu olhar sozinho
E tudo era tão bem escrito
Era tudo tão bem dito...

Quando acordou percebeu que ainda era dia
Da noite que não terminava
No espelho um rosto sem expressão
Na boca um gosto de hortelã

A vida inteira esperou por uma chance
E quando achou que era sua vez, mergulhou na tempestade...
Das loucuras que lia nos livros
Das aventuras que o acordava em seus delírios

A vida inteira esperou por uma chance
E quando achou que era sua vez, não sabia o que era paixão...
Ficou louco no abismo sem horizonte
Aventurou-se no amor coberto de ilusão


Queria o silêncio que nada dizia
Olhava um olhar no vazio do dia
Já não sabia se mergulhava na tempestade
Ou se descobria o que era paixão


Mas nem tudo era como nos livros
Mas nem tudo era como nos seus delírios
Mas sempre haverá um abismo
No horizonte do amor...

MAURO ROCHA 25/02/2010






8 comentários:

Reflexo d Alma disse...

Hunn
texto fresquinho...
que belos versos!
Sabe parece que a inspiração
esta pairando sobre os poetas
nesses tempos, pois com tanto trabalho como tenho hoje, compus 4
textos novos e mais alguns me saltam
da mente,
mal posso parar para registra-los.
Bjins entre sonhos e delírios

. disse...

aceito o desafio
em alguns dias
sensacional isso aqui
Parabens

Canto da Boca disse...

Parece que a vida só sabe ser uma grande ilusão, não é Poeta? Mas imaginemos se a ilusão não alimentasse os nossos sonhos? A vida seria Pedra Bruta!

Abraço!

Le Vautour disse...

Lindos versos, Mauro Rocha! Valeu a pena ter conhecido o seu blog. Gostei tanto que já linkei.
Abraços de duas asas!

Cristiana Fonseca disse...

Olá Poeta,
Amei este e o Poema do amor louco (terceiro ato)
És o poeta encantador de almas.

Bom fim de semana.

Fionna ^^. disse...

texto pra um fim de tarde de sexta... Brigada pelos comentários, viu? Também pelo convite de participar no D&P. Por enquanto, ando com meu mundo interior agitado, mas assim que puder escrevo e adoraria participar, viu? Abraços de uma admiradora de teus poemas.. e excelente final de semana!!

Clecilene Carvalho disse...

O amor é mistério...
Em cada coração pousa de um jeito,
o abismo é vizinho dele. Ele faz de em nós o que permitimos e o que, ás vezes, não damos permissão.

Gosto muito do que escreve.

Que Deus abenções vc e sua família.

Clarice disse...

Poeta, reproduzo aqui um pergunta muito séria (deixei na janela para você!) :ser clichê não carece de poesia?

Já que comecei com pergunta, continuo: haverá sempre um abismo?

beijos da janela