sábado, 2 de outubro de 2010

PERFORMANCE

Chegou outubro
E não rimo nada
E já é tarde, quase madrugada

A palavra dorme
Meus olhos fixos na cidade
Da TV que continua ligada

Mas de repente vem uma sensação
Uma vontade de escrever na mão
Tudo em quatro letras

E o vento entra pela janela
Trazendo perfumes da noite
E eu aqui mordendo um biscoito

Será que rimo tudo isso com oito?
Ou saboreio a madrugada em chamas...
Para rimar com a palavra cama

Mas tudo parece tão óbvio
Ou serão óvnis aquelas estrelas?
Que a madrugada presenteia...

Não sei, não sei, não sei
Tudo o que acontece
Realmente não sei

Apenas sei dizer
Que tudo se resume
Em quatro letras

Pense, pense, pense
Vamos lá
Começa com A

E é como navegar
Ou seria flutuar?
Ou apenas sonhar...

Depois vem o M
E dá um treme-treme
E tem hora que sua frio
Mas é tão gostosinho...

E não se esqueça do O
E tudo vem como ondas
Parece que tudo está no ar
É como navegar...

E o grand finale vem com R
Risos, rios, raios de sol
E a noite rima com lençol...

MAURO ROCHA 02/10/10

9 comentários:

Noslen ed azuos disse...

tem razão, outubro rima com nada rsrs!

levo a impressão que tu sempre é vencido pela poesia.

abração
ns

ΛмeвΛ disse...

Mto bonito.

Bom domingo!
ΛмeвΛ

Canteiro Pessoal disse...

Mauro, magnífico!

Abraços

Priscila Cáliga

Marilu disse...

Querido amigo, lindo poema. Tenha uma linda semana. Beijocas

Palavrácido disse...

É muito bom escrever, e falar sobre o amor, você conseguiu dizer tudo, e ainda abriu espaço pra milhares de escritos.! Ja estou te seguindo, gostei daqui meu querido Mauro,
abraços

Dan

Pelos caminhos da vida. disse...

Perfeita Perfomance Mauro.

Obrigado pela sua companhia.

Uma boa semana pra vc.

beijooo.

Bandys disse...

Mauro,
Voce sempre vai rimar com poesia.
Seja que estação ou mês for.

Tudo belo.

beijos

Elcio Tuiribepi disse...

Olá Mauro...no final o amor rimou com a poesia, feita com maestria pelo poeta...
Um abraço na alma
Um abraço na poesia...

Cristiana Fonseca disse...

Olá poeta,
Outubro rima com chuva e as poesia de Mauro Rocha.
Abraços,
Cris