terça-feira, 5 de outubro de 2010

UM EM DOIS EM UM

Do fogo as cinzas
As cinzas no ar
No ar parecem nuvens
Nuvens que cedo ou tarde vão molhar...

Da chuva o verde
O verde reflete nos olhos
Os olhos no horizonte
O horizonte... Olhar o horizonte é navegar...

Nos remos segue a vida
A vida planeja e o destino brinca
Brinco de pérolas e estrelas
Lua e estrela e a cidade de pernas pró ar...

Ar e água mergulho no mar
Diante do espelho teu corpo
Corpo, pulsação
Tudo acelerado... Haja coração...

Coração.. Um em dois
Feijão com arroz
Alimento
Fogo...

Gozo... Que inicia tudo
Tudo fica por um instante mudo
Olhos no horizonte
Que encontra olhos no horizonte...

E a cidade de pernas pró ar
Nos remos da vida
Brinca o destino
Brinco de pérolas e teu corpo no espelho...

MAURO ROCHA 05/10/2010

11 comentários:

Marilu disse...

Querido amigo, excelente jogo de palavras. Beijocas

Pat. disse...

Precisa muita criatividade para fazer um poema assim...
Um beijo com carinho e obrigada por visitar-me.

Chica disse...

Maravilhoso teu poema! Inspiração linda!

abraços,chica e um lindo dia!

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

O DESTINO É UMA CRIANÇA...BRINCA....
BEIJOS MEU POETA

Vivian disse...

...o que não faz uns brincos
na imaginação do poeta!

lindo lindo!

bjbj

Luciano Braz disse...

Sim meu simpatico amigo, No remos seguimos ...

Grande abraço nobre poeta, lhe tenho muita admiração.

Luciano Braz

Giardia disse...

Não me fale em espelhos!!

mas a poesia é toda linda, linda!!

Tatiana disse...

Mauro...
Gostei muito desse poema e da construção com o jogo das palavras.
Você é fera!

Beijos com meu carinho

Fernand's disse...

doce!

gostei.

Bandys disse...

E com os olhos no horizonte leio seu belo poema imaginando brincar no horizonte.

Voce é demais.

Beijos

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

tudo ao fim é pernas para o ar, tão simples como feijão com ar e não diretamente sem muitas razões como "vida planeja e o destino brinca"
Ps- adorei o novo visual do blog