terça-feira, 13 de janeiro de 2009

DIAS IMPRÓPRIOS

O amor que navega e faz navegar nas entrelinhas da paixão...
Kamikaze
Luz na escuridão...
E da janela estendo a mão
Para o dia começar então
Vejo o anjo da noite acordado
Conversas
Desejos
Noites sem fim...

Lágrimas na solidão
A espera
Na esfera
Gira o mundo
Não sou nada sem ti...
Energia
Nas entrelinhas...
Fecho os olhos...na brisa
Sinto teu abraço
Meu Deus eu acho
Não, tenho certeza
O paraíso está nesse espaço
Que me navega...

Nos dias impróprios
Procuro respostas
Em mandarim
E ela tão bela
Tão Botticelli
Tão Joana d’Arc
A Mona Lisa que sorri...
Nas entrelinhas
Não sou nada sem ti...


MAURO ROCHA 13/01/2008





8 comentários:

Melsavinon disse...

Que bom ter encontrado seu blog!gostei muito da maneira que escreves!Bjs

paula barros disse...

Oi, Mauro

Esse sentimentos nas entrelhinhas que fazem as linhas do corpo e da mente escreverem estrelinhas do sentir.

boa semana!

[ rod ] disse...

Dias de confusa improbidade... de tensões nada vistas... de desejos ainda latentes... sobreviveremos?

Abçs meu caro,








Novo Dogma:
bandEira...


dogMas...
dos atos, fatos e mitos...

http://do-gmas.blogspot.com/

Bandys disse...

Mauro,
Voltou com tudo!
Simplesmente amei

beijos

f@ disse...

Valeu a pena esperar... Sublime o poema...sem dias impróprios... gira o mundo sobre o amor...

Beijinhos das nuvens

Lampejos disse...

Poeta Mauro,

Dias próprios para te ler nas “entre linhas”

...


(a)braços,flores,girassóis:)

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

lIndo poema, Poeta. Ainda bem que voltou, estava com saudades. Vou te linkar. Agora não te mais desculpas para me visitar. Queri fazer-lhe um convite:
Fiz um post digno do Galeria. Vc pode ir nos outros Blogs depois, mas vá primeiro ao Galeria.
Um abraço,
Renata

Clarice Lis disse...

Poeta, saudades de ler-te. "E da janela estendo a mão" ... Bom demais. Desejo que seu 2009 seja ainda mais repleto de poesia.