segunda-feira, 18 de maio de 2009

ANJOS NA CIDADE

Sobre os trilhos a cidade passa
Passo por paisagens que nem entendo
Faço um mapa nem sempre astral
Faço do momento meu próprio carnaval

Julgo-me um poeta contemporâneo
Mas já me vi em passados momentâneos
Não tenho um livro que me defina
Apenas um blog que registra minhas linhas

Hoje estou encima da montanha conversando com a morte
Como num jogo de xadrez ela cata seus milhos
Como num jogo de xadrez sigo atento aos meus desejos e vícios
Entre poemas, o dia e seus recortes no horizonte norte...

Norte, sul, leste, oeste a cidade cruza:
Caminhos, olhares, sinais, sozinhos...
Num mundo globalizado há muitos sozinhos
Nas cidades dos anjos...

Sobre os trilhos minha vida passa
Por paisagens belas ou nefastas
Nas linhas desenhadas pelo destino
Abro as janelas dos blogs amigos

E tudo na vida parece escrito com razão
A morte ri da minha imaginação
O próximo movimento pode ser um cheque-mate
Mate-leão ou Camomila ? Escolha o chá das cinco

Cinco minutos e tenho um poema
Cinco minutos e tenho um dilema
Cinco minutos e nem preciso disso tudo
Apenas de quatro letras

Para demonstrar a primavera inteira
Para que as folhas de outono virem tapete
Para que o inverno derreta
Para que o verão seja eterno e nunca se esqueça

Que são apenas quatro letras
Que andam nos trilhos
Que regem o mundo...
AMOR

Que de trás para frente constrói-se uma cidade
Que fazem os anjos ficarem na cidade
Que faz com que as civilizações se questionem
Mas o amor é um dom que nunca nos abandona...

Na cidade dos anjos...

MAURO ROCHA 18/05/2009

8 comentários:

Clarice disse...

Poeta, saudades de vir aqui. Incrivel! também estive na cidade dos anjos e confesso que queria ter ficado por lá ...
beijos da janela

paula barros disse...

Eita, rapaz para escrever!!!!

Nossa, seu poema me jogou de um lado para o outro.

Adoro ler algo que me leva pelas palavras, feito um personagem de desenho animado, que posso está no tabuleiro de xadrez ou na montanha, uma poema visual, auditivo, sinestésico.

Gosto desse jogo de palavras:
"O próximo movimento pode ser um cheque-mate
Mate-leão ou Camomila ? Escolha o chá das cinco"


aplausos!!!!

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Na cidade dos anjos...quero morar, quero viver.
Uma boa e feliz semana para você.
beijosssssssssss

Lampejos disse...

...

E nas asas do anjo de um ..alvorecer subo para a mesma

linha desta cidade que nunca abandona.

Poesia de absoluta beleza.

[obrigada, poeta Mauro Rocha].


(a)braços,flores,girassóis

Bandys disse...

Mauro,

belo, sensível e nessa cidade dos anjos vamos poetar..

Beijos

Canto da Boca disse...

E eu quero fazer um recorte aqui: "como num jogo de xadrez", invoquei de imediato o extraordinário filme do Bergman, O Sétimo Selo, na magistral interpretação do Max Von Sydow, que ao encontrar a morte em seu caminho, ele propõe um jogo de xadrez, para salvá-las (os seus súditos da morte). Se bem que isso não seria algo tão grandioso, afinal a Suécia, do tempo das Cruzadas, retratada no filme, era uma terra do caos, assolada pela peste negra...

Mas adorei a ironia com o chá das cinco, mate ou camomlia? Há quem prefira o preto, o verde... Mas que seja às Cinco, em ponto, como os ingleses, hahaha! Adorei!
Um abraço!
;)

Aninha disse...

RJ 14h30

Outono de sol
Realmente.em 5 minutos pode a acontecer tanta coisa...
Queria apenas visualizar esta Cidade dos Anjos..
Fui votar ,mas não encontrei o seu blog..

Sucesso

Aninha disse...

Mauro

Agora consegui votar!Parabéns!

bjs