quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

SAUDADE DA PRIMAVERA

O cheiro da manhã
da chuva, do avelã
a terra molhada,
a janela aberta
o poema do Quintana
estendido na sala...

o cotidiano, o caminho
o cachorro que late
o desejo que parte
o desejo que fica
o corpo relaxa
o pensamento longe
o poema do Quintana...

O cotidiano, o caminho
as folhas de outono
a saudade da primavera
o cheiro da manhã
escrita no poema...


Mauro Rocha 31/07/2006

Um comentário:

Pam Orbacam disse...

Se me permite, senti que teus poemas tem cor e sabor. Admiro tua forma de escrever... Não consigo ser latente, quente, colorida. Gostoso de ler. Vou continuar a descer pelas páginas.