terça-feira, 8 de janeiro de 2008

SEGREDOS

A vida é feita de vírgulas
Até um certo ponto
Reclame
Exclame
Diga com dois pontos
Caso o travessão atrapalhar
Grite com crase
Case ou não case
Saia de mãos dadas com as aspas
Ponha reticências
Faça um pouco de resistência
Dê um charme a interrogação
Não seja igual
Seja mais
Caso precise trema
Dentro dos colchetes ou num parênteses
Olhe de frente e sorria
Acene com seu chapéu circunflexo
Diga alô ao til
Que a vida é feita de vírgulas
Entre chaves
Giro o ponto e vírgula
Agudo ? talvez grave !
E o que fica nas entrelinhas???
São segredos gramaticais...


MAURO ROCHA 08/01/2007




Um comentário:

Pam Orbacam disse...

Muito, muito bom. Não sei pq me vi nesse poema.