sexta-feira, 17 de julho de 2009

FRAGRÂNCIAS

Os pássaros perdidos
Os dias compridos
Nas linhas...Aspas
E o tempo sentado na praça

No espelho o mundo e a fumaça
Escrevo com o vento em flecha
Na vida a alegria e o amor fazem festa
E o tempo sentado na praça

Sempre estendo a mão no vazio
Na esperança do dia me ceder um carinho
A loucura não é uma doença, é uma companheira sem crença
E eu sentado na praça observo o tempo

E o tempo observa minhas rugas
E sorri de minhas loucuras
E diz que tudo está escrito
E que tudo parece um ciclo

As nuvens fazem as mesmas coisas
E quando esquecemos de viver,
Repetimos coisas por não ter o que dizer
E tudo parece um ciclo

E de tudo algumas coisas são vícios
Respiro o vicio de amar
Nas escrituras a palavra está lá
E o tempo está sentado na praça

Sempre estendo a mão e abro a porta
Atento a rua nas noites de solidão
No passado, meus olhos afogados, procurava a razão
Hoje com o sorriso de lado abro a janela da paixão

Eu preciso do seu amor
Com o corpo estendido no chão
Nas linhas...Aspas
E o tempo sentado na praça...



MAURO ROCHA 17/07/2009

6 comentários:

paula barros disse...

Gosto e aprecio essa seu poder de escrita.

E quando o tempo passa e junto tem o amor, o tempo passa melhor e deixando boas marcas.

abraços

HSLO disse...

Gostei muito desse post viu..

abraços

Hugo de Oliveira

Zek disse...

O tempo sentado na praça....

Há poucos minutos atrás voltando para casa estava pensando nele, talvez tenha me encontrado com ele no caminho ... esse furtado tempo .

Bandys disse...

Mauro,

"A loucura é uma doença, é uma conpanheira sem crença
E eu sentado na praça observo o tempo

E o tempo observa minhas rugas.."

Só não podemos esquecer de viver!

Beijos e um fds de muita luz!

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Sua poesia é forte poeta, as metáforas, cada letra dança com maestria
Boa semana poeta.

Simplesmente Amor disse...

Os bons ventos sempre acabam me guiando a lugares fantasticos!

E aqui encontrei um belo pouso!

Um abraço carinhoso