sexta-feira, 27 de agosto de 2010

NOITE VELOZ

Escrever um poema de amor
Sem ser piegas
Sem rimar com a palavra flor
Imaginando as noites Norueguesas

Meu caro!É difícil
Pois o pensamento esboroa
Meu caro! É difícil
Amar á toa

O amor tem todo um charme
Que vai da complexidade
A simplicidade

Do eu me amo
Ao tu me amas
E assim nos amamos

Como irmãos
Como companheiros
Mesmo na solidão
Numa vida ou contando os ponteiros

Escrever um poema de amor
É saber que as palavras completam os gestos
E mesmo no deserto, flores são regadas de paixão
E mesmo na saudade, bate um coração...


MAURO ROCHA 26/08/2010

13 comentários:

Marcio Nicolau disse...

Mauro, que beleza! Tuas palavras me falam tão direta e claramente que é como se estivéssemos conVersando.

Já ouviu "Canção de Protesto", do Caetano, que a Ana Carolina canta? Teu poema me fez lembrar. Procure ouvir depois.

Abraço.

Marilu disse...

Querido amigo, que linda declaração de amor...Tenha um lindo final de semana...Beijocas

Dih! disse...

muito bom seu texto :D

Vivian disse...

...poeta querido,
é sempre um enorme prazer
recebê-lo em meu canto.

aqui é tudo lindo
e eu encantada
deixo beijos!

Bandys disse...

Que lindo, Mauro.

Beijos

F. Otavio M. Silva disse...

^^.. muito bom... realmente, escrever um poema de amor sem o clichês comuns é difícil, mas eu também tento. ficou muito bom o texto. Parabens.

menina fê disse...

querido,
amar é ser piegas e isso é lindo!

rsrs

bjs meus

Rodrigo Passos disse...

amei cada gota de letra nesse poema!

Memória de Elefante disse...

Escrever NÃO é fácil!
Ainda mais um poema de amor quando uma deconhecida generosidade luta com o mais feroz desejo de posse, passam a nos atormentar..Nossa lucidez se foi, foi-se com ela o sossego... e também o tédio desapareceu.A asa dourada nos roça, esse perfume nos envolve, essa tempestade nos agita..."e mesmo na saudade bate um coração"...

Emocionante!

Um beijo

Deia disse...

Poeta, se falar de amor é difícil, escrever sobre então... Mas você o fez com a desenvoltura que lhe é inerente! Um beijo, Deia.

Gilmar disse...

Como você bem disse, "E mesmo no deserto, flores são regadas de paixão", também a poesia sem clichês, sem rimas fáceis, é nascida e alimentada da paixão que sustenta o poeta. E é o que você faz, manifestando, explicitamente, a congruência dos gestos. Sua alma sabe as falas! E como sabe!!
Grande abraço, Mauro!

Majoli disse...

Que lindo Mauro.
Realmente falar de amor, sem pensar em rimar com flor...fazer poemas de amor sem rimar felicidade com saudade e muitas outras rimas...
Escrever sobre o amor, tem que estar sentindo ele a sair por todos os nossos poros.

Beijos de boa noite meu amigo.

Lane SoL disse...
Este comentário foi removido pelo autor.