sexta-feira, 14 de maio de 2010

INSTINTO DE ANIMAL

E você olharia mais uma vez
Mas o dia nem tinha começado
E quantas palavras estavam entre o chão e a mesa?
E quantos futuros foram perdidos no passado...?

Eu me lembro quando minhas asas eram exuberantes
Quando meus mergulhos atravessavam os oceanos
Eu me lembro quando as lágrimas eram apenas chuvas distantes
Quando eu apenas era um herói da coleção das revistas em quadrinhos...

Hoje a cidade vive entre o caos e a esperança de ser erguida
Hoje eu leio o jornal acompanhado da preguiça e da vida que tem de ser vivida
As ruas viram um grande mosaico de notórios anônimos
E todos se conhecem em redes interligadas de sonhos e sentimentos...

E eu olharia mais uma vez
Mas à noite nem tinha começado
E quantas palavras estavam entre o sussurro e o desejo?
E quantas estações vão desejar o inverno outra vez...?

Muitos nem percebem as nuvens que brincam de ser objetos
Muitos nem percebem que vivem aglomerados em desertos
Mas nem tudo é loucura e caos entre a terra e o céu
Existe a poesia, o vinho e os tangos de Gardel...

Nós nos olharíamos mais uma vez
Mas a vida nem tinha começado
E quantas palavras são ditas num beijo?
E quantas voltas o mundo dá antes que se deseje...?


MAURO ROCHA 15/04/2010

12 comentários:

Deia disse...

"Existe a poesia, o vinho e os tangos de Gardel..." - resumo perfeito do pouco, e simples, que precisamos para sermos felizes! Um bom final de semana, amigo poeta, Deia.

Mari Amorim disse...

Muito bonito seu poema,é necessário viver o presente,para que haja um passado real.
Boas energias
Mari

Pat. disse...

O querer e querer saber!
Escreves tão bem...
Beijos, Beijos.
Excelente fim de semana.

EU SOU NEGUINHA disse...

Menino...amo sua poesias....
beijos,lindo fds
Nega

Tatiana disse...

E quantas palavras estavam entre o sussurro e o desejo?
E quantas estações vão desejar o inverno outra vez...?

Tenho feito essas perguntas ao meu coração dia após dia!

Profundas palavras Poeta! Bom estar aqui!

Um beijo carinhoso

Zélia disse...

Mauro,

foi um prazer participar da blogagem coletiva no Espaço Aberto. Adorei a idéia de multiplicarmos pensamentos, lugares, pessoas e palavras.

Por falar em palavras. Bonito poema o seu. Cheio de sentimento. Eu mesma, neste momento, não posso dizer quantas palavras estão entre a minha necessidade e a minha coragem...

Saudações!
Zélia

Elcio Tuiribepi disse...

E quantas palavras estão entre a verdade e a mentira, e quantas palavras estão entre o medo e a coragem...e quantas palavras estão entre a razão e o coração...
Talvez todas estejam com a razão...é assim que sempre sinto...
Um abraço na alma amigo...lindo parecer osbre o ser e o estar ou não...

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Obrigada pelo carinho meu poeta maior.
Esta poesia está de "gritar" o coração.
beijos

Juju disse...

Olá poeta! Lindo texto! estou passando por aqui para dizer-lhe que lhe indiquei para participar do Meme "6 coisas que não sabem sobre mim". Sem obrgiação nenhuma de participar, claro, mas, se quiser, passe lá no blog e veja como funciona! Um abraço, Juju

serpai disse...

AMIGO ..POR ACA ESTY DISFRUTANDO DE TU ESPACIO TAN BUENO...
SALUDOS

SERGIO

Le Vautour disse...

Conte com meu voto, poeta! No seu sangue correm versos rimados, cadenciados e cheios de conteúdo. Lá circula beleza, circula poesia, circula arte. Como não gostar?

Bandys disse...

Um beiijo