quinta-feira, 20 de maio de 2010

PERGAMINHO

Tec, tec,tec,tec,tec,tec,tec,tec
E a máquina começa a escrever
Tec, tac,,tec,tac,tec,tec,tac,tec,tac
E a máquina começa a correr
E assim o texto é composto
Vira homem
Vira mulher
Vira rosto
Num dia de sol
Num dia de chuva
Até mesmo comendo uva...

MAURO ROCHA 20/05/2010

6 comentários:

Deia disse...

Vira a página. vira a curva, vira a esquina, tec,tec, tac, continua nua, a máquina de escrever, absorta no mundo da Lua! Adorei! Um beijo, Deia

EU SOU NEGUINHA disse...

Ahhhh adorei isso,
Beijos menino poeta

Lampejos disse...

...
[tec...tec tec...]

no dia de chuva
me deixaste escrevendo
na fronteira
das palavras.


Bom fim- de- semana...Poeta.

(a)braços,flores,girassóis..(::)

Bandys disse...

E assim segue o caminho do poeta..
Um belo fds
Beijos

Dilberto L. Rosa disse...

"Sopro" excelente! Quanto ao atual, resta a dúvida: será que o amigo poeta poetiza sobre uma antiga máquina de escrever ou foi apenas saudosismo poético?! Abração!

Le Vautour disse...

Hahahaha, que gostoso!
Abração!