quarta-feira, 30 de julho de 2008

CAVALEIRO DAS TREVAS

Com os olhos cansados
Os sapatos sujos...

Veja
Os anjos tiraram férias
Sua alma esta do lado de fora...

Todas as cartas foram escritas com sangue
Todas as noites foram criadas de insônias
Todos os dias foram criados por labuta

Veja
A dor fria e nefasta
O beijo da morte na taça
O grito num cálice
Os dias ímpares vestidos de sábado...

Todas as teorias foram quebradas
Todas as fantasias foram realizadas
Todas as cidades empoeiradas

Febre...

Com os olhos cansados...



MAURO ROCHA 22/07/2008

8 comentários:

instantes e momentos disse...

Boa noite, dando mais um passeio em teu blog. Muito bom.Bemescrito, gosto daqui,
Maurizio

paula barros disse...

Acredito que diz muito o que você escreveu.
Talvez de uma subjetividade que só me faz ficar pensando.

Entre o Fascínio e o Pensamento disse...

Olá, poeta!
Nossa... tinha muitos textos aqui que eu não tinha lido ainda! Estou numa correria danada para terminar uma monografia..rsrs
Olha, eu amei este teu texto irrigado de simbolismos vários...
Sapatos... sangue... taça... cálice... sábado!
Gosto do que vejo e do que sinto quando leio!
Você é fantástico, de verdade!!
Parabéns! =)

Dry Neres

f@ disse...

"Todas as teorias foram quebradas
Todas as fantasias foram realizadas
Todas as cidades empoeiradas

Febre..."... do poeta que aqueçe as trevas...
beijinhos das nuvens

Lampejos disse...

Poeta Mauro,

Só um instante para ler e viver essa imensidade poética.

Certamente sem febre!

(a)braços,flores,girssois;)

Bandys disse...

Mauro,
Adorei!

Veja
Os anjos tiraram férias
Sua alma esta do lado de fora...

Essa frase disse tudo.
Beijos

Canto da Boca disse...

Até os anjos carecem de férias, não é mesmo, Poeta?
E de vez em quando, toda a gente fica com um cisco no olho; inventa-se dias ímpares vestidos de sábado, assim, há, ah! O descanso...
;)

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Acho que meu dia hoje é ímpar...
Cansaço
Tristeza
beijo