quinta-feira, 17 de julho de 2008

LINHAS GRIFADAS

Cravo os dentes na maçã
Hoje é segunda e meus olhos atravessam o rio
Entre as linhas do livro está meu presente
Ausente minha alma cata sonhos serenos
Meu desejo se mistura com a febre
Estou cansado de dinheiro, do desespero, do caos
Encostado no muro da esquina observo o mundo
A vida precisa de asas para não cair no abismo
Nem todos os anjos são da guarda...

Nem tudo que se guarda é precioso
Vou grifar a palavra “saudade” toda vez que ver teu rosto
O tempo passa e nós que ficamos velhos
Acordei com a sensação de uma música ter escutado
Acordei sendo por anjos carregado
Conversei com todos os demônios no passado
Para não ter duvidas no futuro
A vida precisa de asas para não cair no abismo
Nem todos os anjos são da guarda...

Cravo, rosa e a chuva no caminho
Roubaram meus sentimentos, devolvem-me confusões
Amor, sexo, loucura, paixão...
Decifrar um beijo, caminhar na amplidão
Do amor que lhe entrego, devolve-me mil paixões
Da paixão que carrego mil são ilusões
Ausente minha alma cata blues
Meu desejo se mistura ao teu...
Cravo os dentes na maça...



07/12/2007 MAURO ROCHA





7 comentários:

Clarice Lis disse...

"a vida precisa de asas" ... tão intenso no sentir. Gostei muito e levantei para ir pegar uma maçã.

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Querido amigo
Fiz o dever de casa certinho, com direito até a fotomontagem!
Vá conferir e depois me dê sua opinião.
beijos

paula barros disse...

"Ausente minha alma cata sonhos serenos"

"A vida precisa de asas para não cair no abismo"

Fico pensando nessas duas frases.

Lampejos disse...

Poeta Mauro,

Ou um cair vertiginosamente em queda livre rumo ao mar...
mas com a maré em seu apogeu.

Muito bonito!...

(a)braços,fores,girassóis :)

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Que poema singelo e belo, amigo poeta! Parabéns e nunca deixe de escrever.
Postei sobre um filme meio desconhecido, porém lindo.
Apareça quando puder:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
não há ponto depois de www
Um beijo,
Renata

Canto da Boca disse...

... E criamos cenários profanos, a partir da maçã, quando nela cravas os dentes. Ou cravar os dentes na maçã do rosto da moça.

;)

Carla disse...

aromas de fruta...entre a saudade e a ilusão
têm força as tuas palavras poeta
boa semana
beijos