segunda-feira, 28 de abril de 2008

INFINITO DESEJO

O vazio...
Que reflete no espelho
Mostra os ponteiros
Que na parede insiste em caminhar
No tempo que perdi
Quando deixei de te olhar...

MAURO ROCHA 28/04/2008

6 comentários:

Claudia Perotti disse...

Pequeno e simples, mas que diz tudo!

Bonito, Mauro!

Beijinhossssssssss

Ravnos_Blacklotus disse...

Em poemas como este que vemos como o simples pode ao mesmo tempo ser complexo.

um abraço Mauro.

Clarice Lis disse...

Quantas coisas perdemos quando deixamos de ver (com os cinco sentidos!) ... Gostei muito.

Delirium disse...

Adorei seus escritos e particularmente o da tulipa, logo abaixo deste. Parabéns pelo blog.

Poeta Mauro Rocha disse...

A todos, muito obrigado!!!

Lyra disse...

Recuperar o tempo, quando o queremos mesmo, genuinamente, é sempre possível.

Beijinhos e até berve.

;O)