quinta-feira, 17 de abril de 2008

ORVALHOS

A chuva que fina chove
Molha o solo, molha as árvores,
Que tudo faz crescer
A chuva desatenta também molha
Minha alma e a faz tremer
Nas noites solitárias
Onde não há lareiras nem teus braços a me aquecer
Onde não há espaço nem tempo para morrer...

A chuva que fina chove
Acompanha a madrugada
Acompanha a solidão
Que segue a estrada de tantas almas molhadas...

A chuva que fina chove
Chora por você...

MAURO ROCHA 17/04/2008

4 comentários:

Toda Poesia disse...

Lindo. Triste e lindo. Adorei. Abraços.

Ravnos_Blacklotus disse...

Gostei bastante, inclusive peço permissão para por no meu blog. Tem tudo a ver com o que quero expressar.

um abraço.

Poeta Mauro Rocha disse...

Toda poesia, obrigado!!Abraços

///////////////////////////////////

Ravnos,
está permitido, fico honrado!!

Poeta Mauro Rocha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.