quinta-feira, 23 de outubro de 2008

ESTAMPADO NO CHÃO

Ando na rua de cabeça baixa, as lágrimas cristalizam antes de chegar ao chão.
Pergunto-me se vale a pena continuar sonhando? Ou procuro abismos!
Meninas escrevem em diários suas angústias, sonhos e paixões
O trem está lotado de mentes cansadas do dia-a-dia
Preciso chorar a solidão que me assola
Preciso ir embora, o corpo padece, a alma consola...

Prego... os pregos em paredes amarelas
O som do oceano me acalma, o som de tua voz arrepia a alma
Somos gêmeos dessa mistura cósmica
Sou o anjo da asa quebrada
Lembra? Teu sorriso continua estampado na lua...

Abstraio pensamentos loucos diante de imagens surrealistas
Indico o caminho dos pássaros, mergulhado em livros, procuro respostas.
Os dias estão secos, os parques queimam, tuas mãos estão geladas!
Dou um giro de cento e oitenta graus depois daquele beijo
Minhas sandálias estão na escada, minhas pegadas estão espalhadas...

Ando na rua com a cabeça erguida, o horizonte perde-se no infinito
Grito para que o eco atravesse os vidros, procuro abismos...
Tatuo pergaminhos nas sequóias para decifrar novos segredos
Decifra-me ou morrerá de curiosidade...
Decifro-te para ter a eternidade...

Procuro abismos, corro para teus braços
O amor é vício, as respostas estão no coração
Os sinais são claros, as lágrimas evaporam antes de chegar ao chão
Sou o anjo da nuvem negra
Lembra? Te dei minha alma embrulhada de paixão...


Lembra? Teu sorriso continua estampado na lua...



MAURO ROCHA 23/08/2007





4 comentários:

Não tente me entender... disse...

Nossa, quanta novidade encontrei aqui!
Estava sentindo falta de meus queridos amigos, por isto voltei.

Disseram-me que as nossas vidas não valem grande coisa,
Elas passam em instantes como murcham as rosas...

Será???

Bjs
Fique com Deus!

Bandys disse...

Nossa Mauro,
Como não lembrar??
Claro que essa pessoa deve lembrar!!

Se fosse eu lembraria, rs

Amigo deixo pra voce uma reflexão...

Vou abrir minha casa
Para que você entre.
Tome um café com bolo,
Me conte de você,
Permita que eu ria seus risos,
E deixe que eu seque suas lágrimas,
Se preciso for.
Você não é apenas um nome
Que se esconde atrás de um arroba,
Você tem alma
E asas,
Como os verdadeiros anjos.
Você tem um "eu"
Que precisa e deve
Ser respeitado,
Que precisa e deve
Ser amado.
De virtual, na verdade,
Você não tem nada.
Meu café não tem sabor
E meu bolo não é doce,
Quando virtual,
Mas meu carinho
E meu amor
São nessa rede toda,
Tudo o que tenho de mais real.
Então...
Entre sem bater,
Sente-se
Tem café, bolo
E minha amizade
Esperando por você
Atrás da tela
Desse meu computador.


beijos ☺☺

Poeta Mauro Rocha disse...

Bonita reflexão e verdadeira. Obrigado!!

o casalqseama* disse...

o amor deixa marcas... impossível não lembrar!





bjs da fê =D