quinta-feira, 16 de outubro de 2008

RELEVO AGRESTE

Era profundo...Seus olhos
Janelas incandescentes
Era minha alma
E um desejo único...

MAURO ROCHA 16/10/2008

9 comentários:

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Em tão poucas palavras você, poeta consegue disser tudo. Tudo que se passa em cada alma.Em cada leitor! Poeta dos amores, das almas, dos sabores....
Apareça!
beijos

o casalqseama* disse...

a alma sente, partilha, particpa... e ainda há quem diga que as almas são neutras!


bjs da fê*

Carla disse...

ohos agrestes...que falam!
beijos

Canto da Boca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Canto da Boca disse...

Gostei imenso desse poema, há uma grandeza de desejos e quereres que se fazem desnecessário nas palavras. Lindo, lindo!
Abraço.

Bandys disse...

Mauro,
Lindinho!!!
Pequeno e profundo.
Amei
Um beijo e um super fds

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Inspirado, hein?
Poeta: Fiz nova postagem e a dediquei a você e ao Sagher, pelo fato de ambos serem poetas.
Beijinhos,
Renata

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Poeta:
Venho dizer-lhe que tenho um novo Blog chamado "Resenhas antigas", onde postei agora as resenhas de maio (Across the universe, Blade Runner, Asas do Desejo e a sinopse de Cidade dos Anjos). Eu as tinha retirado do Galeria porque ia fechá-lo. Não o fechei e a única solução para postar as resenhas de maio a setembro foi fazer um novo Blog. Também reforço o convite para apreciar meu novo post na Galeria, já que lhe foi dedicado.
Um beijo,
Renata Cordeiro

f@ disse...

A luz dos olhos e a força de olhar assim tão profundo ...
Beijinhos das nuvens