sexta-feira, 31 de outubro de 2008

UM

Abro os braços no Redentor
Caio nas ondas do ar
Vejo os olhos dentro do fogo
Ajoelho ao chegar

Por favor...
Dei-me sua mão para eu me guiar
Por favor...
Dei-me seus olhos, pois os meus não vêem o luar

Fecho os braços no Arpoador
Ando sem andar
Vejo os olhos dentro do fogo
Vivo alma a vagar

Por favor...
Dei-me seus dias sem as horas
Por favor...
Dei-me seus olhos para nas estrelas eu chegar

MAURO ROCHA 31/10/2008








9 comentários:

HSLO disse...

Lindo esse poema. Quero um para postar em meu blog viu amigo...
Pode ser?

Abraços....
Te desejo um ótimo final de semana.

Lampejos disse...

Poeta Mauro,

Esta poesia é realmente preciosa...

“Dei-me seus olhos para nas estrelas eu chegar.”
Como se os teus olhos são estrelas!?


Bom fim-de-semana!...


(a)braços,flores,girassóis :)

Cristiana Fonseca disse...

Sublime, belo.
Adoro tuas poesias.
Deixo minhas desculpas pela ausência, estou envolvida com alguns projetos , que me tomaram o tempo.
Voltarei para ler-te.
Abraços,
Cris

Bandys disse...

Mauro, Mauro....


ARRAZOU!!!!!!!!!!!!!!

A vida deu a cada um de nós diversos
Encantos ... O encanto de aceitar as diferenças...de poder compartilhar......de amar e ser amado ...de perdoar e ser perdoado ...e principalmente, o
encanto de sempre poder contar com
um amigo especial ! ..Que a sua vida seja um ENCANTO...Para tornar suas vitórias mais significativas .... e suas
perdas mais fáceis de suportar !

Voce é uma amigão,
beijo na alma

Rita Brito disse...

Adorei o visual do blog!!

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

...seus dias sem as horas...
Suave, falar de amor com suavidade, quero este poema para mim...
Posso mandar para minha filha?
Apareça. beijos.
tenha uma ótima semana

f@ disse...

Mto belo...
A mão os olhos, e todas as horas do dia para tocar nas estrelas…

Beijinhos das nuvens

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Preciso de alguém que me dê TUDO, pois tive uma grande decepção amorosa neste fim de semana. Tentando superá-la, fiz post novo, sobre um filme dos anos 1980, de que gosto muito. Há poesia, imagens, como sempre. Estou à sua espera.
Um abraço,
Renata

Zek disse...

grande poeta, muito sensível teu poema ( no melhor sentido da palavra sensível).
E olha que cruzamos ideias porque acabei de postar...

Abraços!