terça-feira, 3 de junho de 2008

DÍSPAR

O poeta me disse ontem
Que o amor têm fases
Feito a lua ascendente em câncer
Feito os horizontes em marte.


Porém o que vejo
Vai além da imaginação
Penetra dentro da alma
Corta os dedos, chega ao coração.

O poeta também me disse
Que a vida não têm planos
Corre alegre ou triste
Mas, como o amor não há desenganos.

Porém o que vejo
Está além de minhas mãos
É algo feito desejo
Corta os punhos, chega ao coração.


MAURO ROCHA 25/01/2000

5 comentários:

Ana Gotz disse...

O amor, às vezes, encanta
O amor, às vezes, desmancha
O amor, às vezes, alucina

Aqui estou eu, sonhando com um amor de menina...

Zek disse...

Poeta !!! tens sido pleno em sua inspiração, seus poemas tem fluido abundantemente por aqui !!!!!

É prazer ler cada um deles !!!

:: Daniel :: disse...

O amor tem suas desilusões, sim... Talvez por isso deva cortar os pulsos certas vezes.

Abração!

paula barros disse...

Amor, desejo ou paixão
Algo que retalha
Dilacera
Mas que move e inspira.
bjs

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

E o que vc me disse, Poeta, me encheu de lágrimas os olhos... Bom, é melhor parar por aqui. Estou esperando-o. Postei sobre Excalibur. Vá lá. wwwrenatacordeiro. blogspot.com/
não há ponto depois de www
Bj,
RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO