sexta-feira, 30 de maio de 2008

EM CENA

Por um segundo apenas
Faço sorrir a alma pequena
Que vai descendo o rio sem saber por que
E ilumino ainda mais a alma grandiosa
Que desce as montanhas rochosas prá ver
A dança do vento...


Por um segundo apenas
Abro minha mala cheio de contentamento
Com os mais variados artigos e eventos
Que os olhos podem ver
É só sentir o momento e curtir a canção
Que os sonhos irão fluindo de mão em mão
até chegar ao coração...


Por um segundo apenas
O desejo, a libido, o segredo
Vão se misturando a palavra
Confundindo-se com o verbo
Interligando a fantasia
Na noite clara de lua cheia
Vendo sonhos coloridos
Feito calda de baleia
Nesta globalização do caos...

Por um segundo apenas
A música entra em cena
Por esta voz que vos fala.


MAURO ROCHA 03/06/1999

Um comentário: