quarta-feira, 28 de maio de 2008

LUA CORTADA

Sinto tua mão gelada
Encostada em meu peito
Teu sorriso disfarçado
Teus olhos de um jeito

Como se a lua estivesse cortada
Tuas lágrimas tivessem defeito
Como se o sol acordasse de madrugada
E teu coração não batesse direito


Sinto tua mão gelada
Encostada em meu peito
Meus olhos fechados
Meu sorriso sem jeito

Sinto que não tenho mais nada
E um coração direito
Foi-se também minha alma
Com teu olhar de um jeito

Como se tudo estivesse certo
E a paisagem florida
No meio do deserto
Perdi minha vida.


MAURO ROCHA 26/03/2001

3 comentários:

mundo a fora disse...

qdo leio essas belas obras, sinto q deveria ter continuado na poesia, pena q segui passos diferentes, porém continuei na arte, e isso é especial

belissimas palavras.

adorei!

sucesso!

Loba disse...

Embora n~´aos eja poeta, sou apaixonada pela poesia. nas suas multiplas versões, nos seus inumeros estilos. por isso segui a rilha e vim parar aqui.
Li vários poemas seus. Gostei imensamente das imagens construidas, das mensagens inseridas e especialmente de passear nas entrelinhas que eu mesma construí.
Prazer,poeta!
Um beijo.

paula barros disse...

Passei de manhã li, e não deu para comentar.
Agora releio.
abraços