quarta-feira, 21 de maio de 2008

TELHADOS

Vejo-me preso a cidade
Vejo-me com saudade
Já cori em passos largos
Já sorri demasiado.


Sempre penso em ir embora
Mas tenho medo do que há lá fora
Sempre erro ao jogar os dados
Na sorte o amor vem ao contrário.


A noite chega, estou deitado
A vida passa, estou acordado
Em cima dos telhados
Escutando os sons que vem do espaço.


Em cima dos telhados
Escutando rocks trilhados


Em cima dos telhados
escutando gatos e miados

Em cima dos telhados...


MAURO ROCHA 11/05/1999

2 comentários:

paula barros disse...

"Mas tenho medo do que há lá fora"
Muitos têm, sempre temos. Em cima do telhado me pareceu melhor e mais seguro que em cima do muro. Lá pode ouvir muitos sons. Se fosse dia de lua, até dava para ouvir os sons, sentir os medos e observar a lua.

Poeta Mauro Rocha disse...

Paula, sempre temos mas é melhor doque ficar em cima do muro.
Obrigado pela visita.